terça-feira, 5 de julho de 2011

Whatever

Releio meu post do início do ano. Penso. Reflito. Lembro.
Quanta coisa mudou em alguns meses. Cinco meses para ser mais exata.
E entre aquele dia de fevereiro e hoje, apenas um texto pronto sobre uma data comemorativa. Confesso que foi uma tentativa, em vão, de tentar reviver esse blog. A inúmeras coisas com as quais me ocupei me forçaram a deixar esse espaço em último plano.
Eu poderia contar tudo, com todos os detalhes e tals, mas acho que ninguém tá muito interessado nisso. Quer dizer, consegui um estágio, me identifiquei com algumas áreas do meu curso e já sei que rumo seguir, vejo meus amigos com mais frequência, fiz um trabalho voluntário... Não comecei a namorar com ninguém, porém, tenho boas companhias (rs).
Nos últimos meses eu me descobri. Ou me redescobri. Sei lá, só acho que me conheço melhor. E, honestamente, não sei o quanto as pessoas se importam com isso. Talvez ninguém se importe e eu acho que alguém lê essas coisas...
O que eu quero dizer, no fim das contas, é que eu passei por momentos difíceis e sobrevivi. Assim, tudo mudou com o tempo, as coisas melhoraram... Não me considero "especial" ou "melhor que alguém" por isso, só queria dizer que todos nós temos momentos ruins e que eles passam, que as coisas mudam, que a gente aprende, que a gente cai e depois levanta, melhor e mais forte. É clichê, mas é verdade. A vida é um eterno clichê.
Ah, também queria agradecer a algumas pessoas pelos últimos meses:
Mamãe, sem ter como descrever o porque devido às inúmeras razões.
@ciaorobyyy,@muahlinda, @iammanoel e Manoel D., pela eterna amizade, carinho, paciência e momentos-divertidos-pós-faculdade.
Aos amigos da faculdade @BrunellaVelloso, pelos surtos, pelas crises de riso, pelos dias felizes, @JuliethCorrea_, @camille_ns, @debb_cabral, @Chelle_Fernands, @kleysil18, João e Ed, pelos almoços, trabalhos, conversas e fugidinhas para esquecer dos problemas.
Ao parceiro de boletim @weverton_raiol;aos lindos @fjailsonn, @julianangelim, @Nanicrpereira e @DudaEline, que mesmo distante não deixam de ser especiais.
Aos As mais bonitos da faculdade @adrianapinto_, @antonio_cdm e @TonyLameira: ela, uma linda, ele, antes de qualquer coisa, um verdadeiro amigo, e o último, uma constante na minha vida.
Não sei como serão as férias, nem o próximo semestre, nem a vida daqui por diante. E nem faço questão de saber. Fico com a surpresa, o inesperado. Uma das coisas mais importantes que eu aprendi (ou seria reaprendi?) foi que a vida é efêmera demais pra gente ficar pensando como ela será daqui a dez anos.



2 comentários:

Felipe Jailson disse...

Bom,
Acredito que esses últimos cinco meses de nossas vidas foi como um marco. Talvez a maior mudança de todas foi o nosso amadurecimento. Sim, amadurecimento, pois vivemos coisas demais para não ter mudado algo. Muita coisa mudou. Muita coisa ficou clara. Esse terceiro semestre do nosso curso exigiu tanto de nós que acabou sendo um divisor de águas, mostrando que teremos muitas dificuldades pela frente sim, mas se não olharmos para as coisas boas desse caminho, não chegaremos ao seu fim. Que na verdade nem é fim, é mais um começo. Vivemos muita coisa e não foi só dentro do curso. Nossas vidas mudaram em todas as direções. Só espero que essas dificuldades que tanto nos machucaram (machucar sem matar) nunca sejam suficientes para apagar as coisas boas que vivemos durante elas. Desculpa por estar distante, mas quando eu gosto de uma pessoa, é de verdade e eu gosto muito de ti. Até o quarto semestre e as nossas novas lutas. 1000 beijos

Shelha (S+S) disse...

sabe Mah, todo mundo passa por essas. A gente vai e volta e sempre encontra alguma coisa diferente no caminho.
E não há nada mais importante do que ver o caminho com outros olhos. Que sejam bem vidas as (re)descobertas!