terça-feira, 10 de março de 2009

Capítulos V e VI

[Capítulos anteriores abaixo desse post]

Capítulo V- O interrogatório


-Sennhorita Charllote o dever da polícia é prender criminosos.Se o senhor Edouard Bitterncourt foi realmente assassinado é nossa fun...
-Se?Ele pode não ter sido assassinado?
-Suicidio.
A palavra pegou Charllote desprevinida.Ela não pode evitar que uma expressão de surpresa se formasse em seu rosto.
-Algum problema senhorita?
-Não...Eu só não tinha pensado nisso.-respirou fundo-Pode continuar.
-Então,como eu dizia,é obrigação da polícia saber o que de fato aconteceu e a senhorita é o vínculo mais próximo que temos dele.Sabemos que a família dele mora em outra cidade.
-É verdade.
-E vocês moravam juntoas faz muito tempo?
-Quatro anos.
-E a vida profissional de Edouard?
-Tranquila.Edouard trabalhava como advogado e pouco reclamava.Adorava o que fazia.
-Ele tinha inimigos?
-Não que eu soubesse...-Charllote começava a se assustar.
-Ele costumava ir ao píer da cidade?
-Quando brigavamos,mas fazia tempo que isso não acontecia.
-A senhorita tem ideia do que ele estava fazendo lá naquela noite?
-Não.Ele só chegaria de viagem no dia seguinte.
-E pra onde ele estava?
-Toutonville.Viajou a trabalho.
-Qual companhia aerea?Negrito
-TCG airlines.
-Ok.-anotou algo em um papel-Vejo que a senhorita está assustada.Por hoje já o suficiente.Assim que eu precisar,eu aviso a senhorita.
Charllote levantou-se,despediu-se e saiu.

Capítulo VI- Lembranças

Charllote saiu da delegacia e foi almoçar em um restaurente perto dali.A hipótese de suicidio do marido pertubou-a enquanto comia.
Depos,andou um pouco até o ponto de ônibus e esperou cerca de cinco minutos até que ele veio.Subiu e sentou-se no último banco ao lado da janela.
Lembrou-se de Edouard.Eles se conheceram em um ônibus,quatro anos antes.Ele sentou-se ao lado dela e começou a falar das notícias do jornal que estava em sua mão.Algum tempo depois,ele confessou que só tinha feito isso porque se encantou com ela e queria parecer interessante.
Três anos antes,Edouard levou-a para conhecer sua família,porém,eles não gostaram dela.Charllote até tentou colocar um fim no romance depois de a família Bitterncourt ter sido declaradamente contra um possível casamento.No entanto,Edouard não aceitou o posicionamento de Charllote e deixou claro que eles se amavam e estavam casados na alma,não precisavam de papel nenhum.
Devaneou até dois anos antesO jantar surpresa do aniversário de Charllote foi inesquecivel.Edouard convidou todos os seus amigos.Ao final,quando todos foram embora,ele a carregou até o quarto que estava preparado com pétalas de rosa pelo chão e pela cama,além de uma garrafa de champanhe.Colocou-a na cama delicadamente,tirou-lhe a roupa mais delicadamente ainda,beijou-lhe a face,a boca,o corpo e quando Charllote deu por si,já tinha que descer do ônibus e ir para casa.


(Continua)


______________________

Sem previsão sobre quando os próximos capítulos vão ser postados.

2 comentários:

Fernandz disse...

eu quero maaaais *U*
também não gostei da charllote u_u


te amo vida.

Uriel disse...

goshtey!!

pero muito sessão da tarde... trocaria "Charllote" por "Francisca" e "Edouard" por "Luís" :P